Sobre o Maracanã e os Protestos do Rio (20/06)

“Amor, vamos comprar ingresso para o Maracanã?”

Eu não disse Copa, Espanha etc, disse Maracanã.

Eu e Rogerio temos isso em comum. Gostamos de assistir jogos ao vivo. E torcer! Rir…

Desde a gravidez paramos de fazer qualquer programa que envolvia muitas horas assistindo algo ou aglomeração.  Tinha enjoo, sono, bexiga cheia toda hora, pernas muito doloridas como também medo de cair, de me apertarem e não conseguir sair (medo de muitas grávidas, aliás).

Depois veio uma linda menininha… Nossa vida mudou completamente.  Se pudesse, ficaria ali, cheirando e corujando ela o dia inteiro. Mas não foi isso que nos impediu de assistirmos jogos. Não sei se já contei aqui, mas não temos equipe de apoio a bebê como muitos por aí. Nem tia, sogra, irmã… A família que tenho no Rio tem sua vida e problemas para cuidar. Como nós.  Enfim, marido foi trabalhar e fiquei com ela em casa.

Não dava para levar a bebeca.  Tem gente que leva, eu sei. Isso é coisa minha. Não levo e pronto.

Agora, com ela na escola e a oportunidade de ir lá conhecer o Maracanã fiz a pergunta para o marido. Ele é meio contra. Por conta de todo o dinheiro gasto lá. Mas cedeu. Porque eu nunca fui ao Maraca e era doida para conhecer. Gente, tenho 32 anos!! Nunca tinha ido lá =O

Ingressos pagos e uma semana depois temos notícias sobre as passagens, sobre a movimentação das pessoas nas ruas…. e agora? Maior orgulho delas. O movimento foi crescendo. A vontade de ir lá era maior que o medo da confusão dos baderneiros. E eu não era a única a pensar assim. Muita gente foi às ruas. E eu acompanhando tudo pela TV, corria para buscar a bebeca na escola, a botava pra dormir e voltava para a TV e redes sociais.

Chegamos a Estação São Cristóvão e gelei! Confesso que meu primeiro pensamento foi: “Ainda bem que não trouxe a bebeca”.  Nunca vi tantos policiais juntos. Eu que pretendia filmar tudo para vocês verem… tive medo. Não que todos eles estão lá para atacar a gente. Mas depois de tudo que vemos e escutamos… dá pra me entender né?

Na saída da estação vimos um grupo de uns 10 homens do batalhão de choque. Os funcionários do metrô super educados conosco. Nos orientando pelo melhor caminho a seguir.  Olhei o rosto das pessoas ao redor e percebi que eu não era a única que engoliu seco quando viu a cena.

Os torcedores foram orientados a entrar numa rua. Eu: “Ali?” gasp! Tinha um grupo imenso de policiais. Que pareciam vestidos para a guerra.  Mas aos poucos fui passando por todos e eles estavam tranquilos, educados, pediam para mostrar os ingressos, estavam identificados (primeira coisa que olhei).

Nessa hora me lembrei do desabafo de um policial que vi no youtube. Pensei, ele e outros como ele pode ser qualquer um desses.

Depois disso, relaxei, e voltei a filmar para vocês até a câmera do meu celular acabar

Saímos antes de o jogo terminar para dar tempo de buscar a bebeca na escola.  Umas 17h30min. Feliz com a raridade de sair só eu e marido.

O clima nas ruas por lá ainda estava tranquilo. Os policiais ainda por lá. Até a montada. Nunca tinha visto aquela roupa deles. Parecia armadura (contra coice dos próprios cavalos, dã! – como dizem os paulistas: só que não).

No metrô várias pessoas saltando nas estações próximas ao protesto. Muita vontade de ir com eles.  “Levem meu grito com vocês!”. Que orgulho de vocês! Desde os ‘caras pintadas’ que não via algo assim.

Alguns implicam dizendo que protestam com os que botamos no poder. Porém, a maioria se sente enganada. Deu um voto de confiança para estes políticos que viraram as costas para o povo. A cada ano de eleições é sempre o mesmo discurso. O povo não aguenta mais promessas vazias. Sim, vamos todos as ruas! Vem para rua minha gente!

E eu vou! Chegou a minha vez de finalmente ir às ruas. Levar o meu grito e o grito da minha filha que merece um futuro melhor do que está escrito na cartilha dos governantes.

Domingo as famílias sairão para protestar!  Sei que terá no Rio e em São Paulo. Quem souber de algo acontecendo em outras cidades, vá! E me avisa para que eu possa ajudar a divulgar.

Rio de Janeiro

São Paulo

Niterói

ATUALIZANDO:

Belo Horizonte

Brasília

Campinas

Curitiba

Florianópolis

Goiânia

João Pessoa

Matinhos

Porto Alegre

Santos

Vinhedos

ATUALIZANDO

Acabo de receber um link para o site do 1001 Roteirinhos com a lista colaborativa de protestos das famílias.

Anúncios